quarta-feira, 28 de julho de 2010

Profissão POLÍCIA

Nosso Paraná RN: Profissão POLÍCIA: "quarta-feira, 28 de julho de 2010
Profissão POLÍCIA
Quantas vezes não nos orgulhamos em dizer que somos policiais? A profissão policia orgulha a muitos e é invejada por vários que não tiveram a oportunidade de entrar para esse rol seleto de homens nobres que engrandecem a nossa nação, pela preservação da ordem. Por outro lado quantos colegas não já foram vistos e ouvidos lastimando ser policia e maldizendo a profissão ou oficio que lhe foi oferecido pelo seu próprio esforço?
Será que você já reparou nisso e procurou dentro de si motivos para justificar tal leviandade?
Há anos venho pesquisando o perfil dos nossos policiais e agora... Só agora, posso concluir pelo menos uma verdade: o ser humano foi projetado para ser útil e só sendo útil ele se completa.
Mas afinal o que é ser útil, nesta ótica?
Que o mundo se completa pelas nossas diferenças você já sabe e que para que ele funcione bem é necessário a interligação das várias funções humanas também. Mas não lhe será surpresa se você chegar à conclusão de que os que vivem por reclamar são justamente os que não conseguem ser úteis na sua totalidade. A realização profissional é um desejo de todos, e isso só será possível no momento em que decidirmos o que queremos e podemos fazer.
Queremos e podemos fazer policia? Sim! Então tomemos algumas atitudes necessárias: abracemos o que temos e escolhemos, para que não venhamos a abrir a guarda para o ostracismo. Será necessário que façamos a nossa parte naquilo que nos cabe por responsabilidade, para não atrapalharmos a engrenagem da vida social. Dela depende também nosso bem estar. É o Fordismo da vida em sociedade: É como uma linha de montagem, cada operário monta uma peça e se um deles deixar de aplicar a sua, a máquina não funciona a contento.
Apliquemos então a nossa peça com qualidade e dedicação. Se a corporação não nos condiciona a tanto, lembremo-nos, que acima de construirmos a esta, estamos construindo a nossa imagem, e isso sim, é fundamental.
Quantos maldizem a policia e não saberiam fazer outra coisa se saíssem dela? Já viu alguém ser excluído e não lutar para voltar?
Ser policia é ser forte, ter respeito, ter dignidade, ter autoridade. Ser policia é ser o estado em pessoa. Quantos policiais se portam como autoridade em toda sua plenitude. Quantos já repararam que o poder de policia de um soldado recruta é do tamanho do poder de policia de um coronel?
O desgaste da nossa imagem frente ao mundo atual se dá pela própria ignorância de nosso papel na sociedade. Se somos policia, estudemos policia, para que não nos envergonhemos em situações adversas sem sabermos como nem por onde agir. A sociedade que chama a policia nos casos extremos espera uma resposta satisfatória. Antes de por a culpa naquele que não está, ou se justificar por aquilo que não tem, veja o que você pode fazer com os que estão e com o que tem, pois aquele que lhe chamou para mediar o conflito espera uma resposta satisfatória de sua parte e pode até não saber o certo, mas certamente saberá perceber o erro se esse vier a acontecer.
Se você deixar de perseguir o criminoso por que a justiça é falha, você deixa de fazer a sua parte e contribui ainda mais para a impunidade. Fazer a nossa parte até onde nos cabe, deve nos deixar satisfeitos e com o sentimento do dever cumprido. Nosso papel não é o de condenar, punir, aplicar à pena. E se lá na frente isso não acontece, que isso pese em outra consciência que não seja a nossa.
Quando a gente consegue ser útil estamos nos aproximando da satisfação pessoal e pondo por terra todos os desejos profanos que nos esquivam do trabalho digno. Já reparou que manjar dos deuses é o sentimento do dever cumprido?
Quando educamos nossos filhos, nós mesmos os direcionamos, a esperar o melhor de seus pais. E quão gratificante para eles é ver-nos citados como bom exemplo. E se tudo que gratifica a nosso filho por conseqüência nos gratifica completamo-nos nessa reciprocidade lógica e necessária.
Será que essa engrenagem chamada policia militar não funciona bem, porque muitos não aplicam a sua peça de modo eficaz na linha de montagem? Ora, se é um organismo, precisa que todas as peçam funcionem bem e não temos assim espaço para lástimas e lamentações, pois a linha de montagem não nos permite parar para chorar.
O comodismo não pode fazer parte da nossa empreitada, mas antes de exigirmos uma postura diferente de nossos superiores (de governos a cadeia interna) precisamos passar o visto na nossa própria postura, afinal, em um organismo não existe órgão que não seja importante. Coloquemos-nos sempre como capazes e necessários e isso certamente diminuirá nossa angústia nos fazendo úteis, então completos.
E amanhã brademos com orgulho: nossa profissão é policia.
*Cabo PM Marcos Teixeira
Acadêmico de direito, sociólogo, poeta e pensador, atuante no efetivo do 8º BPM/RN
Postado por nossoparanarn às 06:09

– Enviado usando a Barra de Ferramentas Google"

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Escola em Casa: Fantástico e lei da palmada: reportagem tendenciosa

Escola em Casa: Fantástico e lei da palmada: reportagem tendenciosa: "– Enviado usando a Barra de Ferramentas Google"

Blog do Pastor Fábio

Blog do Pastor Fábio: "– Enviado usando a Barra de Ferramentas Google"

ANIVERSÁRIO DE ITAMBARACÁ

ANIVERSÁRIO DE ITAMBARACÁ



30 DE NOVEMBRO DE 2009 – 54 anos de emancipação política do município de Itambaracá

ITA= PEDRA, BARACÁ= AMOR

Nossa aniversariante nasceu sob o signo do amor.

CRIANÇA – sentiu em suas ruas, os pés de outras crianças correndo em segurança tempos de fé e esperança.

JOVEM – olhava-se no espelho e via a transformação em seu todo, o progresso lentamente chegando, com ele, o conforto material e também certo comodismo espiritual. Dezenas de jovens cruzando suas ruas ou fronteiras, em busca do conhecimento cultural, também em busca do moderno, do mais fácil, ou superficial muitas vezes, tempo de transformações e de muitas interrogações.

MADURA – hoje, o que nos diria essa senhora, se pudesse falar? Ou melhor, se aprendêssemos a nos calar para poder ouvi-la, o que ouviríamos nós? Certamente ouviríamos seu riso pelos avanços de qualidade positiva (e avançamos positivamente sim) porém, ouviríamos o lamento triste de quem assistiu ao longo destes anos, tantas disputas desleais, tantas rixas inúteis, grandes amizades serem substituídas por grandes rancores ou pela fria cortesia da convivência obrigatória. Lamento, pelos passos incertos de muitos jovens que estão se perdendo pelas ruas, pegando carona ao lado negativo do efeito global que atinge todos os cantos do planeta, lamento, pela saudade de sentir os transeuntes nas ruas, aproveitando as noites, respirando o ar puro que temos o privilégio de ter, jogando conversa fora ou se reunindo para juntar idéias em benefício comum, tudo isto que o excesso de TV não permite mais. Lamento, por ter que assistir impassível tanta coisa boa se perdendo na poeira do tempo. E nós, o que diríamos nós? Talvez por não ter nascido aqui, sempre fico com a impressão de que ela não é valorizada como deveria, cuidada com merecia, mas Itambaracá é antes de tudo a terra de nossos avós, nossos pais, nossos amigos e tem uma pujante agricultura, é daquelas cidades em que ainda se faz o sinal da cruz ao se passar em frente a Igreja Matriz, onde programa obrigatório é marcar o ponto no bar do Dé, tomar sorvete no calçadão, saborear as guloseimas na feira da lua; nos arredores, futebol e pescaria e no último mês do ano festa do padroeiro, exposição de carros antigos e show da virada com queima de fogos. Cidade em que a população ainda se dói por ela, onde todo mundo conhece todo mundo, é pequena, mas é uma cidade que tem sonhos, que acredita nesses sonhos de uma cidade mais justa, que busca soluções para seus problemas sem perder o jeito caipira e o orgulho da terra.

Itambaracá é palavra feminina (lembra a mulher terna e forte) significa amor (é soberano) e nasceu na primavera (celebração da vida na natureza). Preciso dizer mais sobre essa senhora? Feliz Aniversário.

MATEMÁTICA DE MENDIGO

MATEMÁTICA DE MENDIGO

Tenho que dar os parabéns ao estagiário que elaborou essa pesquisa, pois o resultado que ele conseguiu obter é a mais pura realidade.



Preste atenção...


Um sinal de trânsito muda de estado em média a cada 30 segundos (trinta segundos no vermelho e trinta no verde). Então, a cada minuto um mendigo tem 30 segundos para faturar pelo menos R$ 0,10, o que numa hora dará: 60 x 0,10 = R$6,00.



Se ele trabalhar 8 horas por dia, 25 dias por mês, num mês terá faturado: 25 x 8 x 6 = R$ 1.200,00.

Será que isso é uma conta maluca?

Bom, 6 reais por hora é uma conta bastante razoável para quem está no sinal, uma vez que, quem doa nunca dá somente 10 centavos e sim 20, 50 e às vezes até 1,00.

Mas, tudo bem, se ele faturar a metade: R$ 3,00 por hora terá R$600,00 no final do mês, que é o salário de um estagiário com carga de 35 horas semanais ou 7 horas por dia.

Ainda assim, quando ele consegue uma moeda de R$1,00 (o que não é raro), ele pode descansar tranqüilo debaixo de uma árvore por mais 9 viradas do sinal de trânsito, sem nenhum chefe pra 'encher o saco' por causa disto.

Mas considerando que é apenas teoria, vamos ao mundo real.

De posse destes dados fui entrevistar uma mulher que pede esmolas, e que sempre vejo trocar seus rendimentos na Panetiere (padaria em frente ao CEFET ). Então lhe perguntei quanto ela faturava por dia. Imagine o que ela respondeu?

É isso mesmo, de 35 a 40 reais em média o que dá (25 dias por mês) x 35 = 875 ou 25 x 40 = 1000, então na média R$ 937,50 e ela disse que não mendiga 8 horas por dia.

Moral da História :

É melhor ser mendigo do que estagiário (e muito menos PROFESSOR), e pelo visto, ser estagiário e professor, é pior que ser Mendigo...

Se esforce como mendigo e ganhe mais do que um estagiário ou um professor.

Estude a vida toda e peça esmolas; é mais fácil e melhor que arrumar emprego.

E lembre-se :

Mendigo não paga 1/3 do que ganha pra sustentar um bando de ladrão.

Viva a Matemática.

Que país é esse?