quinta-feira, 2 de junho de 2011

Surto de E.coli na Europa é causado por nova linhagem tóxica


Surto de E.coli na Europa é causado por nova linhagem tóxica
Pesquisadores afirmam que bactéria é parente próxima de outra linhagem de E.coli, que foi isolada anteriormente na região central da África e conhecida por causar uma forte diarreia
surto da bactéria E.coli na Europa é causado por uma nova linhagem altamente infecciosa etóxica, com genes que lhe dá resistência a alguns tipos de antibióticos, disseram cientistas chineses que analisaram o organismo.
Os cientistas do Instituto de Genômica de Pequim, que estão colaborando com o Centro Médico da Universidade de Hamburgo-Eppendorf, na Alemanha, completaram o sequenciamento do genoma da bactéria em três dias, após receber suas amostras de DNA.

"Essa E.coli é uma nova linhagem de bactéria que é altamente infecciosa e tóxica", disseram os cientistas do Instituto de Genômica de Pequim, na cidade de Shenzhen, no sul da China.
Os pesquisadores disseram em comunicado nesta quinta-feira que a bactéria era parente próxima de outra linhagem de E.coli, a EAEC 55989, que foi isolada anteriormente na região central da África e conhecida por causar uma forte diarreia.
Autoridades ainda estão investigando a origem da nova bactéria, que supostamente contaminou verduras cruas. O surto de E.coli já matou pelo menos 17 pessoas na Europa, deixando mais de 1.500 outras doentes em oito países.
O Centro Médico da Universidade de Hamburgo-Eppendorf, um dos maiores hospitais de Hamburgo, tratou muitos dos pacientes infectados no norte da Alemanha, e descobriu que alguns antibióticos usados não tiveram efeito, segundo os cientistas chineses.
"A análise revelou ainda que a perigosa bactéria transporta alguns genes que dão resistência a antibióticos, incluindo resistência a aminoglicosídicos, macrolídeos e antibióticos betalactâmicos: o que torna o tratamento por antibióticos extremamente difícil", disseram os cientistas.
A E.coli pode ser passada de uma pessoa à outra, mas especialistas afirmam que não há exemplos disso ocorrendo em números significativos nesse surto.
Especialistas recomendam rígidas medidas de higiene, como lavar bem as mãos e limpar e cozinhar bem os alimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seus comentários.