quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Segurança: Operação Liberdade prende 296 suspeitos em 60 cidades paranaenses - Agência Estadual de Notícias

Segurança: Operação Liberdade prende 296 suspeitos em 60 cidades paranaenses - Agência Estadual de Notícias

Conscientização sobre as Drogas: Divulgue!

Conscientização sobre as Drogas: Divulgue!:



por que chegamos a esse ponto?










Para baixar e divulgar, clique aqui Conscientização sobre as Drogas, vá em ações e fazer download como PPT.




Leia também os desafios para o adolescente moderno.




Divulgação do blog Desafiando Limites para a UBE. (recebi de uma lista)





www.ubeblogs.net
UBE - União de Blogueiros Evangélicos



Todas iguais...

Todas iguais...:

Elas faturam alto, mas, mesmo assim, estão sempre no topo das empresas campeãs em reclamações no Procon Curadoria do Consumidor, Pequenas Causas, Justiça comum...

Mas, pouco adianta processar as empresas de telefonia por que as indenizações, quando reconhecidas pelo Judiciário, são tão pífias, que não chegam a fazer cócegas no patrimônio.

Mudar de operadora, então, é como trocar seis por meia dúzia. Tirando a propaganda, são todas iguais.

Estranhamente, a ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações) tem sido bem tolerante com elas. Afinal, essas empresas operam sob concessão do Estado. Podem muito bem ser cassadas e substituídas. O que estão esperando?









B.O. de Stive: ES: TEN-CEL DIZ SER CONTRA PROMOÇÃO DE PRAÇAS POR TEMPO DE SERVIÇO

B.O. de Stive: ES: TEN-CEL DIZ SER CONTRA PROMOÇÃO DE PRAÇAS POR TEMPO DE SERVIÇO

Abaixo Assinado “Carreira Única PMPR”

Abaixo Assinado “Carreira Única PMPR”:

Para: Deputados Estaduais do Paraná

Excelentíssimos Senhores Deputados Estaduais do Paraná


Solicitamos seu apoio na implementação da Carreira Única da Polícia e do Bombeiro Militar do Paraná.

A carreira única chega a ser mais almejada pelos praças da instituição do que um aumento salarial, pois sabemos que aumentos se desvalorizam com o tempo, mas galgar as graduações e postos da instituição sem a divisão de classes que existe hoje seria não só vantajoso financeiramente, mas também extremamente gratificante em termos de realização pessoal e profissional, refletindo diretamente na qualidade dos serviços prestados por estes profissionais.

Além disso, este projeto não geraria ônus extras ao Estado, e não prejudicaria em nada os atuais oficiais da instituição, tendo uma ótima viabilidade de implantação.

Todos os novos integrantes oriundos de concurso público teriam a mesma formação no curso de soldados e … Continue lendo e assine agora.


Fonte: Petição Pública

“Sem diagnóstico, plano de segurança do Paraná pode jogar dinheiro fora”

“Sem diagnóstico, plano de segurança do Paraná pode jogar dinheiro fora”:

Rodrigo Pimentel, consultor em segurança pública da Rede Globo e ex-capitão do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) do Rio de Janeiro.


Li o plano e fiquei decepcionado porque se resume ao básico do básico: viatura, helicóptero e contratação de policiais. É aquilo que já foi feito em todos os países do mundo e não funcionou. Não tem nada de sofisticado, não traz nada de novo.”


Katia Brembatti



Acostumado aos horrores da violência no Rio de Janeiro, o consultor Rodrigo Pimentel disse estar perplexo com o cenário de violência no Paraná. Para ele, o estado teria “parado no tempo” no combate à criminalidade, deixando de investir em criminalística, inteligência e reequipamento das polícias. Mas, na opinião do consultor, mais do que dinheiro, falta ao Paraná um diagnóstico preciso sobre a violência. E isso só se consegue com dados estatísticos públicos e organizados.


Pimentel ganhou notoriedade ao escrever o livro Elite da Tropa e ajudar a fazer o roteiro dos filmes Tropa de Elite 1 e 2. Pós-graduado em sociologia urbana pela Univer­­sidade Estadual do Rio de Janeiro, ele esteve em Curitiba no último dia 19 para o lançamento do núcleo de pesquisa em segurança pública e privada da Uni­­ver­­sidade Tuiuti do Paraná, quando conversou com a Gazeta do Povo.


Quais as semelhanças e as diferenças da criminalidade no Rio e no Paraná?


O Rio é sui generis, com territórios negados ao Estado e a cultura do enfrentamento à polícia, a cultura do fuzil. O fuzil muda tudo no jogo polícia e bandido. O combate fica mais violento, tem mais risco de bala perdida. E a cultura das facções, com disputa territorial. No Paraná não tem nada disso, entretanto, tem muito homicídio em bairro de periferia. Aqui há a necessidade de investigar e prender os assassinos. Difícil falar para um curitibano, acostumado com padrões sociais tão elevados, que ele vive numa das cidades mais perigosas do Brasil [taxa de 40 mortes a cada 100 mil habitantes].


Será que o curitibano não sabe?


Talvez não saiba porque a violência aqui está na periferia, está dispersa, diferentemente do Rio de Janeiro, onde estava do lado da praia de Copacabana. O Rio tem excelentes ferramentas de estatística. Qualquer dado que se precise é possível conseguir na hora. E aqui isso não existe e não está à disposição da polícia e tampouco da sociedade. O grande problema é que só é possível enfrentar a questão se você a conhecer. Aí é possível traçar algum tipo de estratégia.


Que estratégia foi possível identificar no plano de segurança pública lançado recentemente no Paraná?


Li o plano e fiquei decepcionado porque se resumem ao básico do básico: viatura, helicóptero e contratação de policiais. É aquilo que já foi feito em todos os países do mundo e não funcionou. Não tem nada de sofisticado, não traz nada de novo. Na sequência do plano tem uma parte um pouco mais elaborada, que é a retirada dos presos das delegacias, porque libera o investigador para fazer o trabalho que é dele, de investigar e relatar inquéritos. O plano não fala sequer uma linha em crack. Se eu souber que quem está matando e quem está morrendo é o usuário, tenho que ter no plano algum tipo de atendimento aos dependentes.


Mas um ponto positivo é a intenção de reconstruir a polícia técnica. Se há muito homicídio no Paraná, é preciso que as pessoas que estão matando sejam presas. Para que sejam presas, preciso de provas técnicas e, para isso, preciso de peritos e de agilidade no laudo pericial.


Mas, proporcionalmente, o Paraná tem bem menos policiais do que o Rio de Janeiro…


É evidente que existe um déficit de policiais no estado, com tantas cidades sem nenhum policial. No entanto, só será possível saber qual é a prioridade depois de um diagnóstico muito preciso. O mais necessário no momento, pode ser, o esclarecimento dos homicídios. Ao que me parece, a prioridade pode ser esvaziar as delegacias, até por uma questão humana, porque ninguém deve cumprir pena em delegacia. Em um estado com tantas prioridades parece que o sistema de segurança pública ficou congelado por uns 15 anos. Confesso que me assustei quando soube que tinha 14 mil presos em delegacias no Paraná. Mais importante do que dinheiro, neste momento, é o diagnóstico, para que o dinheiro não seja jogado fora. Já vi mais de uma vez projetos que consistiam em aumento de efetivo e compra de viaturas e que resultaram em mais aumento na quantidade de homicídios. No entanto, é um começo, é uma sinalização de que se está olhando para o problema, mas esperava mais diagnóstico. Um rumo preciso e com metas de redução de criminalidade.


Que ações objetivas podem ser tomadas neste momento?


O que funciona é a combinação de transparência, controle e salário. O salário daqui é até bom. Precisa melhorar, mas não é dos piores. O primeiro passo é tornar os dados públicos para aumentar a transparência. E precisa rigor no combate aos desvios de função dos policiais. No Rio de Janeiro, tudo foi testado. Lá aprendemos por tentativa e erro. Escutei várias vezes o balanço do ano na segurança pública: fizemos operações em favelas, compramos viaturas, compramos fuzil. E o que vamos fazer no ano que vem: vamos comprar mais viaturas, mais fuzis e fazer mais operações em favelas. De novo a mesma história? Chegamos a ter 127 mil laudos periciais na fila no Instituto de Criminalística. Ou seja, podia prender que não seria condenado porque os laudos não ficariam prontos. Não tinha nenhum gerente de segurança pública para identificar os gargalos e resolver os problemas.


Que peso as drogas têm na criminalidade?


Temos 120 homicídios por dia no Brasil e 80 são relacionados a drogas. O que mais explicaria o aumento da violência no país se a gente está vivendo um momento de crescimento econômico, com geração de emprego e redução da desigualdade social?


E o que as pessoas podem fazer para mudar esse cenário?


A sociedade pode e deve cobrar. Deve ir na delegacia notificar qualquer tipo de crime e parar de usar drogas. A pesquisa que mostra a segurança pública como o principal problema do estado já revela que a população está preocupada. Talvez as pessoas não saibam que o Paraná está mais violento que o Rio de Janeiro. É importante saber que o problema tem solução, principalmente a médio prazo. Em São Paulo, o número de homicídios cai há 12 anos. Se outros estados estão fazendo por que o Paraná não pode ter êxito

também?


Vizinhos invadem casa para matar acusado de estupro, em Andirá...

Vizinhos invadem casa para matar acusado de estupro, em Andirá...:
A Polícia Militar de Andirá (50 km de Cornélio Procópio) cumpriu um mandado de prisão na noite desta terça-feira (30), de um acusado de abusar sexualmente de um garoto de dez anos. Pouco antes de deter o homem, de 44 anos, os PMs tiveram que socorrer a irmã do suspeito que teve a casa invadida e alvejada por tiros por vizinhos revoltados.
Por volta das 21h, a polícia foi chamada até a Rua Engenheiro Rebouças para apurar um ato de vandalismo. Moradores furiosos com o homem acusado do estupro de uma criança invadiram a casa da irmã do acusado. Eles dispararam várias vezes contra a residência e depois entraram no local, pois queriam encontrar o homem e matá-lo.
Os tiros deixaram marcas pela casa, a porta da residência foi estourada e os móveis revirados. O acusado não foi encontrado, pois ele estava se dirigindo em um táxi até Santa Mariana (88 km de Londrina). A Polícia Militar recebeu a informação e foi em busca do homem que foi encontrado ainda na rodovia.
Ele foi detido e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil para abertura de inquérito.
Casos de abusos sexuais contra menores tem sido recorrentes nas últimas semanas na região norte do Estado. Em Santo Antônio da Platina, homem é encontrado morto um dia após a filha de 12 anos denuncia-lo na delegacia de abusos sexuais seguidos. Em Figueira, a Polícia Civil está invetigando a denúncia de estupro de duas meninas de cinco anos. Em Cornélio, uma criança de apenas 2 anos foi estuprada pelo ex-amásio de sua mãe, de 67 anos. O caso está sendo apurado pela polícia em segredo de justiça. Atualizada às 13h07 de quarta-feira, 31-08.
FONTE: Seção de Comunicação do 18° BPM.


terça-feira, 30 de agosto de 2011

Gmail é vítima de certificado SSL falso - Segurança - Notícias - INFO Online

Gmail é vítima de certificado SSL falso - Segurança - Notícias - INFO Online

Máfia japonesa, Yakuza se alia a PCC em São Paulo

Máfia japonesa, Yakuza se alia a PCC em São Paulo:





Justiça já condenou 15 descendentes de orientais por participação no grupo cuja marca são as tatuagens nos corpos de seus integrantes; eles praticam extorsões e agem com extrema violência; interior de SP virou palco de atuação.





O incrível caso do presidiário que, de uma cela no Ceará, vende dinamite para quem quiser, no país todo

O incrível caso do presidiário que, de uma cela no Ceará, vende dinamite para quem quiser, no país todo:

Amigos, está quentíssima a coluna que o jornalista Carlos Brickmann publica hoje, domingo, em 5 jornais. Como de hábito aos domingos, reproduzo notas da coluna. Hoje, são 3 notas. Não percam.


Tá tudo dominado


dinamite

Mesmo presdo no Ceará, bandido vende e manda entregar dinamite em qualquer lugar do país: cada caixa, 3 mil reais


De onde sai a dinamite para explodir caixas eletrônicos? O excelente repórter Agostinho Teixeira, da Rádio Bandeirantes de São Paulo, identificou um dos caminhos: o presidiário conhecido como Bruno .50, que por celular comanda os negócios de uma cela na Casa de Custódia de Itaitinga, no Ceará. Ele envia dinamite tranquilamente para todo o país, por 3.000 reais a caixa com 400 bananas, e pagamento contra a entrega.


O responsável pelos presídios do Ceará só se lamentou: não consegue evitar a entrega de celulares nas cadeias, nem seu uso. Tentou uma empresa chinesa para bloquear os sinais, não deu certo.


Traduzindo, o tal Bruno .50- nome alusivo a um calibre de metralhadora antiaérea – está no melhor dos mundos: tem casa, comida, roupa lavada, tudo por conta do governo; vive em segurança, protegido por nós de clientes que queiram eliminá-lo, sabe-se lá por que motivo; fatura seu dinheirinho sem despesas de infraestrutura. Talvez nem pague a conta do celular.


E quem deveria coibir suas atividades limita-se às reclamações. Mas, puxa, se o responsável não consegue, por um ou outro motivo, cumprir suas tarefas, que se afaste e deixe o lugar para outro. Só que demitir-se não ocorre a Sua Excelência.


Será tão difícil assim controlar as atividades dos presos? Os presídios americanos nada têm a nos ensinar? Como é que se carrega uma bateria de celular, se não há tomada nas celas? Ah, sim: pode-se ameaçar a família dos carcereiros, se eles não cumprirem determinadas tarefas. Em outros países, pelo menos nos mais desenvolvidos, as coisas não acontecem assim.


É que ali não está tudo dominado.



Plenário do Senado

Justiça derrubou supersalários de funcionários do Senado, o Senado recorreu: por coincidência, Sarney estoura de longe o teto salariao previsto em lei


Por trás da notícia: Sarney e os supersalários


Muita gente estranhou a manutenção de salários superiores ao teto constitucional no Senado: os supersalários tinham sido reduzidos pela Justiça, por decisão da 9ª Vara Federal de Brasília, e quem recorreu para mantê-los foi o próprio Senado, que paga a conta – com o nosso dinheiro.


Mas por que o Senado recorreu?


Simples: porque o presidente do Senado, José Sarney, PMDB do Amapá, é dono de um supersalário dos mais invejáveis. O teto de quem recebe do Tesouro, pela Constituição, tudo somado, é de 26.700 reais mensais – salário de ministro do Supremo Tribunal Federal.


Sarney, porém, recebe 62.284,11 reais por mês, segundo o ótimo portal Congresso em Foco. É mais que o dobro do que a Constituição permite – sem contar que, no Senado, fora mordomias, ganha 15 salários por ano.


O estupro num quartel do Exército e o silêncio oficial


Um soldado de 19 anos foi estuprado por quatro companheiros, no banheiro de um quartel do Exército em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Ferido, o rapaz foi levado em sigilo para um hospital militar, onde ficou 8 dias. Só no quinto dia a família foi informada da hospitalização, com uma história mal contada: disseram que o rapaz “sofreu um mal súbito”, “numa atividade interna do quartel”.


Um sargento denunciou o caso; a investigação corre sob sigilo. O caso aconteceu em 19 de maio e até agora a única repreensão foi feita à mãe da vítima, ameaçada de prisão “por insubordinação contra as autoridades militares”. A subversiva queria obter informações confiáveis sobre a saúde do filho. O rapaz violentado também sofreu ameaça: “Tu vai se ferrar”, disse-lhe um soldado.


Maria do Rosário Nunes

Maria do Rosário: chocada até agora


O caso foi levantado pelo jornalista Igor Natusch, do portal Sul21, de Porto Alegre – guardem seu nome, porque o trabalho que realiza é impecável. E as autoridades?


A ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, declarou-se chocada — e chocada deve estar até agora, porque não se sabe de qualquer providência que tenha tomado. O então ministro da Defesa, Nelson Jobim, silenciou. O novo ministro da Defesa, Celso Amorim, também guarda diplomático silêncio. A presidente Dilma, cuja carreira se fez no Rio Grande do Sul, nada falou.


O rapaz violentado ainda vai acabar levando a culpa.


Padre se converte e leva pastor para pregar dentro de Igreja Católica na Itália - noticia cristã

Padre se converte e leva pastor para pregar dentro de Igreja Católica na Itália - noticia cristã

Como os Cristãos sofriam antigamente


Como os Cristãos sofriam antigamente
E como sofrem hoje




http://www.youtube.com/watch?v=AFDbIbrj80E&feature=player_embedded



http://www.youtube.com/watch?v=N1qphmk6PcY&feature=player_embedded


http://www.youtube.com/watch?v=9FHJUTXy6r8&feature=player_embedded


segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Paraná decide abrir Mapa do Crime à população

Paraná decide abrir Mapa do Crime à população:

Mudança no sistema de divulgação das estatísticas também prevê publicação dos dados por cidades, que hoje são regionalizados


28/08/2011 | 00:01 | Diego Ribeiro


O Geoprocessamento-Mapa do Crime, sistema de mapeamento criminal do Paraná, vai passar a publicar as estatísticas por cidades a partir do ano que vem. O chefe da Coordenadoria de Análise e Planejamento Estratégico (Cape), tenente-coronel Marco Antonio Wosny Borba, confirmou mudanças no sistema de divulgação das estatísticas. A proposta é a população ter mais acesso aos dados da criminalidade. Hoje, a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) divulga estatísticas regionalizadas.


A primeira das mudanças previstas será a regionalização das reuniões entre comandantes, delegados e secretário estadual. Hoje, os debates das estatísticas da segurança pública do estado são realizadas em Curitiba. Após a mudança, cada área integrada de segurança pública, que agrega subdivisões da Polícia Civil e batalhões da Polícia Militar, será responsável pela administração das informações fornecidas pela Cape. “As metas serão regionalizadas e a ideia é que haja uma avaliação constante”, afirma Wosny.




Números comprovam eficiência do sistema

Mais do que planilhas em computadores, os números do geoprocessamento têm saído das te­­­las para ajudar a polícia a definir políticas de segurança e planos de trabalho. Para o delegado Guilherme Rangel, adjunto da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), a palavra de ordem quando se fala em inteligência policial é otimização de recursos. “Se as condições não são as ideais, temos que concentrar os esforços de forma mais focada, embasada nesses números.”


No início do ano, Curitiba viveu uma onda de assaltos e ar­­rombamentos a residências. A Cape mapeou as ocorrências, detalhando dias e horários dos crimes e as manchas criminais onde se concentravam. A DFR delineou as investigações e, em dez dias, duas quadrilhas estavam desmanteladas. Trinta dias depois, já eram 19 presos, de quatro grupos criminosos diferentes. “No Jardim Social, por exemplo, que era um dos mais visados, houve redução de mais de 70% de casas invadidas”, disse.


Outro bom exemplo é o da Delegacia de Homicídios (DH) de Curitiba, cujo setor de estatísticas cadastra os crimes contra a pessoa. Bastante detalhado, o mapeamento leva em conta informações sobre a vítima (sexo, idade, onde residia, se era usuária de drogas, se tinha passagem) e sobre o crime em si. O banco de dados é alimentado depois com informações dos inquéritos policiais. A partir daí, o núcleo cruza informações, capaz de fornecer uma leitura precisa sobre as ocorrências.


Segundo a delegada Maritza Haisi, titular da DH, os números norteiam constantemente a atuação da unidade. Desde março, o geoprocessamento já ajudou a definir quatro operações, em bairros distintos. No Novo Mun­­do, houve o resultado mais ex­­pressivo. O bairro era um dos mais violentos de Curitiba, com 17 homicídios no primeiro se­­mes­­tre. Após a operação, que terminou com a prisão de 11 pessoas, apenas um assassinato foi registrado, em agosto. “Ou seja, quando a inteligência é empregada, os resultados são imediatos”, conclui a delegada.


Felippe Anibal




Como é hoje


Implementada em 2004, a Cape é ponto fundamental para melhorar a segurança pública no estado. É com base nas informações geradas pelo setor que as polícias podem saber onde atuar com mais intensidade. “É essencial para dar precisão nas políticas públicas”, afirma o ex-secretário Nacional da Segurança Pública, o coronel da reserva paulista José Vicente Silva.


Segundo Silva, essas informações são fundamentais para fazer ajuste de recursos, como distribuir efetivos. “É importante também para a população saber como está o trabalho policial e conferir a eficiência dos recursos públicos”, comenta.


Formado por dez profissionais das áreas de Tecnologia da Informação, Ciências Jurídicas e Sociais, Estatística, Cartografia e Geografia, a Cape inicia o processo com a coleta das informações pelo Boletim de Ocorrência. Após a coleta, as informações de cada crime são direcionadas para softwares chamados Arc-gis, mapserver, geoserver e I3geo, que compilam as informações e reproduzem as “hot spots” (manchas criminais).


Os profissionais ainda encaminham as informações para um banco de dados compartilhado para todas as unidades de polícia do estado. Há hoje mais de 300 policiais capacitados para receber as informações da Cape. Pela metodologia adotada pela coordenadoria na última gestão, os comandantes e delegados são responsáveis por apresentar essas informações para a população nos Conselhos Co­­mu­­nitários de Segurança (Consegs). “O problema é que falta participação popular”, ressalta.


Lesão e morte


A taxa de 27 homicídios por 100 mil habitantes do Paraná pode ser ainda maior. Segundo Wosny, a lesão corporal seguida de morte não está incluída nas estatísticas dos homicídios do estado. O número suprimido ainda não foi revelado e não se sabe o quanto acrescentaria à taxa atual da violência paranaense. As estatísticas da criminalidade ainda não contabilizam mortes em confronto com a polícia e latrocínios (roubo seguido de morte). De acordo com Wosny, a Sesp está analisando quando e como disponibilizará essas informações no Mapa do Crime.

GOVERNO DO PARANÁ CONVOCA 670 INVESTIGADORES


GOVERNO DO PARANÁ CONVOCA 670 INVESTIGADORES
 
O delegado-chefe da Polícia Civil, Marcus Vinícius Michelotto, apresentou um vídeo com três projetos das 95 novas delegacias com atendimento cidadão, que fazem parte do programa Paraná Seguro.
A apresentação ocorreu no Encontro Estadual dos Conselhos Comunitários de Segurança, em Apucarana, neste sábado (27). A previsão é que pelo menos outras cem delegacias sejam reformadas. Michelotto anunciou também que, até a próxima semana, começam a ser chamados os 670 investigadores da Polícia Civil, aprovados no último concurso, para fazer parte da instituição.
O delegado informou também, durante o encontro, que está em estudo a transformação de núcleos em delegacias. Entre as unidades, Michelotto citou o Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos (Nurce), Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (Nucria) e Núcleo de Repressão aos Crimes contra a Saúde (Nucrisa). "Com o formato de delegacia poderemos buscar mais investimentos para esses grupos e, assim, melhorar suas atuações", informou.
Michelotto reforçou a importância desses núcleos e de outras forças especiais, como o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e Tático Integrado de Grupos de Repressão Especiais (Tigre) no combate ao crime organizado. Segundo ele, as dificuldades enfrentadas pela polícia paranaense se deve a muitos anos sem investimento em segurança. "Neste governo temos a garantia de que o orçamento será reforçado e, em consequência, os policiais e a população sentirão as mudanças para melhor".
INTERIOR - Michelotto informou que Ponta Grossa receberá uma unidade da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), nos próximos meses. Dentro de 60 dias, segundo ele, será criada a Delegacia da Mulher em Apucarana.
As unidades do Instituto de Identificação serão migradas das delegacias para as Ciretrans. Com isso se tornará mais ágil o envio de carteiras de identidade àqueles que moram no interior e a população terá ambiente mais agradável para o atendimento.
VOLUNTÁRIOS - Durante o evento, Michelotto parabenizou os voluntários dos conselhos de segurança no Paraná e reforçou a importância do envolvimento da comunidade na luta contra o crime. Ele disse que visitará todas as delegacias do Estado e quer contar com a participação dos Consegs. "Teremos uma Polícia Civil comunitária cidadã. Para isso, precisamos da participação ativa dos conselhos".. Atualizada às07h33 de segunda-feira, 29-08.

Fonte: Bonde.

sábado, 27 de agosto de 2011

Oscar Niemayer está tão lúcido aos 103 anos, vejam a frase que ele postou

Oscar Niemayer está tão lúcido aos 103 anos, vejam a frase que ele postou:


"PROJETAR BRASÍLIA PARA OS POLÍTICOS QUE VOCÊS COLOCARAM LÁ, FOI COMO CRIAR UM LINDO VASO DE FLORES PRÁ VOCÊS USAREM COMO PINICO.
HOJE EU VEJO, TRISTEMENTE, QUE BRASÍLIA NUNCA DEVERIA TER SIDO PROJETADA EM FORMA DE AVIÃO MAS SIM DE CAMBURÃO!"
(Oscar Niemeyer)

SARGENTO ENQUADRA O COMANDANTE DO EXÉRCITO

SARGENTO ENQUADRA O COMANDANTE DO EXÉRCITO:

Ao Excelentíssimo Senhor General de Exército

Enzo Martins Peres

Comandante do Exército



De Sarides Ferreira de Freitas

2º Sargento Reformado



Apelo (Faz)



Excelência!


É com extremada contrariedade, robusto constrangimento, exacerbada revolta e imensurável insatisfação que me dirijo a Vossa Excelência, dado o pressuposto, de que meu apelo cairá na vala comum das tergiversações que tem norteado as ações dos Guardiões da Nação e da Constituição Federal, peço vênia!



Nos últimos tempos todas as autoridades, mesmo aquelas sob o compromisso do Sagrado Juramento, estão violentando nossa Lei Maior, estão tratando a Constituição Federal, como uma indigna prostituta.



O Supremo Tribunal e o Congresso Nacional estão a serviço do Executivo e ambos denegam o dever maior, qual seja o de “Guardiões da Constituição Federal”. Vão além: são useiros e vezeiros em estu prá-la. O Procurador Geral da República e o Ministério Público, omissos.



General!



Há muito os Três Poderes não são independentes! Só não vê o cego, o mal intencionado ou aqueles que se locupletam neste mar de lama...



Creio piamente que Vossa Excelência não está enquadrada na cegueira, na má intenção ou no locupletar. Destarte, ouso indagar: o que vos impede de agir em defesa da nossa Pátria, como preceitua os vossos deveres, incluso o “Sagrado Juramento.” Se eu, simplório, sei que as vossas atribuições não se restringem a defender a Nação somente de inimigos externos, sendo os internos mais execráveis, por serem apátridas traidores e com maior rigor devem ser expurgados. Com infinita propriedade Vossa Excelência detém a extensão da fidelidade que Vosso Cargo imputa.



Se factível, rogo justifique a prolongada tergiversação.



Ainda há tempo de remissão.



A Lei prevê revi são anual dos nossos soldos em janeiro.



LEI No 10.331, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2001. Regulamenta o inciso X do art. 37 da Constituição.



Art. 1º As remunerações e os subsídios dos servidores públicos dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário da União, das autarquias e fundações públicas federais, serão revistos, na forma do inciso X do art. 37 da Constituição, no mês de janeiro, sem distinção de índices, extensivos aos proventos da inatividade e às pensões.



Ferindo o preceito constitucional, o governo tem distribuído esmolas, com índices fajutos, em datas aleatórias, sem nunca nos contemplar com a revisão constitucional.



Por dez janeiros, com a vossa cumplicidade, esta regra constitucional não foi cumprida. Gerando uma defasagem de 135%. Creio ser redundante enunciar: “o presidente da república não pode deixar de cumprir a constituição,” sem arcar com as consequências; com STF e Congresso N acional a soldo do Executivo, recai sobre vossos ombros restabelecer a normalidade democrática. Não sabemos em nome do que, não o faz.



Senhor!



A Tropa não espera que um governo comunista a remunere bem. A Tropa quer que o seu Comandante cumpra o papel precípuo de Comando: ser responsável pelo destino dos subordinados. Ser responsável pelo sustento da Tropa é responsabilidade intransferível. A Tropa não é formada por bandoleiros, mercenários, a Tropa serve ao País. Existem Leis que a amparam. Estão à espera de quem as façam valer. Este é o meu apelo; o apelo da Tropa.



“A Defesa da Pátria não pode se subordinar à vontade política - de indivíduos, autoridades ou partidos – e nem aos interesses econômicos – nacionais ou transnacionais. Na defesa da Pátria e dos Poderes Constitucionais, a “iniciativa” (prevista no Artigo 142 da CF), deve ser dos comandantes das Forças Armadas, em cumprimento do dever de ofíci o. Agir de forma contrária significa incorrer em crime de responsabilidade ou até de prevaricação, dependendo do caso.”



“Nada mais perigoso do que se fazer Constituição sem o propósito de cumpri-la. Ou de só se cumprir nos princípios de que se precisa, ou se entende devam ser cumpridos – o que é pior (...).. No momento, sob a Constituição que, bem ou mal, está feita, o que nos incumbe, a nós, dirigentes, juízes e intérpretes, é cumpri-la. Só assim saberemos a que serviu e a que não serviu, nem serve. Se a nada serviu em alguns pontos, que se emende, se reveja. Se em algum ponto a nada serve – que se corte nesse pedaço inútil. Se a algum bem público desserve, que pronto se elimine. Mas, sem na cumprir, nada saberemos. Nada sabendo, nada poderemos fazer que mereça crédito. Não a cumprir é estrangulá-la ao nascer'”. Pontes de Miranda, em magistério revestido de permanente atualidade.



General!



Não há dig nidade em uma Nação , quando os direitos Constitucionais são violados, sob o olhar complacente de quem, por dever de ofício, deve coibir tal prática.

Não há segurança nacional, quando propriedades são destruídas por vândalos, financiados pelo governo federal com verbas públicas.

Não há segurança nacional, quando por opção ideológica, o Comandante em Chefe das Forças Armadas, nega recursos financeiros para manter os poderes dissuasórios, compatíveis à grandeza territorial e as incalculáveis riquezas

Descumprir uma vírgula da Constituição Federal é crime! Neste desgoverno, todos estão descumprindo-a.



“Por isso, na hora de decidir se age ou não na defesa da pátria e da soberania, o comandante militar não precisa ficar com a dúvida. Quando tiver a obrigação de cumprir o que define a Constituição, não corre risco de ser acusado de “golpista” – como é o temor geral pós-64, que apavora as legiões.”



“O servidor público militar que tiver medo de cumprir a Lei Maior, deve mudar de profissão ou passar para o lado do crime organizado, cuja lei é a barbárie. Não serve para “servir” às Forças Armadas.”



Vossa Excelência sabe que por vossa omissão, os melhores quadros das FFAA estão renunciando à sua vocação primeira, para não passarem pelo constrangimento de na ativa, virar CAMELÔS!



Contando com a vossa aquiescência, nós , os deserdados dos reajustes salariais, que os políticos concedem a si mesmos , esperamos ansiosos , que nos próximos janeiros, Vossa Excelência nos agracie com a revisão anual insculpida na Lei Maior. Por ver a Constituição ser tratada como uma hetera, lesado pela queda do poder aquisitivo dos meus vencimentos , indignado, extravasei! Dê um basta nesta inconstitucionalidade. “Ultima ratio”.



Respeitosamente,



Sarides Ferreira de Fre itas – 2° Sgt Ref

IDT 010395151-1 Ex



Reivindicar um direito não é crime. Não somos litigantes desonestos, queremos apenas o que a inflação tomou. Só não temos quem advogue por nós. Estamos ÓRFÃOS... Sem ARRIMO...Se não houver pressão da base, a cúpula permanecerá estática, somente uma ação provoca reação, ou lutamos por nossos diretos ou pereceremos (na mendicância).



OBS: Todo brasileiro que tenha recursos para isso está autorizado e solicitado desde já a reproduzir este aviso e fazê-lo publicar no órgão de mídia de sua preferência, assim como a divulgá-lo por quaisquer outros meios ao seu alcance. Preservado o Teor e a fonte.


Fonte: Tribuna do RESERVAER


Colaboração: Luiz Carlos Braga /
http://sargentoricardo.blogspot.com

Entrevista com Rogério Grecco, o promotor mineiro defensor de policiais

Entrevista com Rogério Grecco, o promotor mineiro defensor de policiais:

Os apresentadores do Revista Geral, Pascoal Monteiro e Coronel Mendonça recebem mais uma vez, como convidado especial do programa, o Procurador de Justiça Rogério Greco.
rogério-greco-200x300Além de procurador, Greco é professor de Direito Penal – Mestre pela UFMG – Especialista pela Universidade de Salamanca e Doutor pela Universidade de Burgos – ES.
Autor de vários livros, entre eles “Atividade Policial”, um manual jurídico destinado aos policiais, o procurador é uma referência também na literatura.
Vamos aproveitar que o nosso convidado é uma das maiores autoridades em Direito do Brasil, para sabermos o que ele pensa das mudanças no Código Penal Brasileiro, que entraram em vigor há pouco mais de um mês, e sua opinião sobre outros assuntos que envolvem nossa segurança pública.
Você não pode perder o Revista Geral deste sábado, 27 de agosto, o programa de rádio da Ascobom que vai ao ar às 16 horas na rádio 107,5 FM.
Lembrando que além de ouvir, você também pode participar ao vivo do programa mandando um e-mail para revistageral@ascobom.org.br


Fraudes bancárias eletrônicas crescem 36% - Segurança - Notícias - INFO Online

Fraudes bancárias eletrônicas crescem 36% - Segurança - Notícias - INFO Online

Falha no Skype permite inserir código - Segurança - Notícias - INFO Online

Falha no Skype permite inserir código - Segurança - Notícias - INFO Online

Falso software ataca com arquivos PDF e SWF - Segurança - Notícias - INFO Online

Falso software ataca com arquivos PDF e SWF - Segurança - Notícias - INFO Online

Ocorrências de alto risco e suas consequências psicológicas

Ocorrências de alto risco e suas consequências psicológicas:

Policiais e Bombeiros têm direito a tratamento psicológico depois de se envolverem em ocorrências de alto risco.


Esquecida por grande parte dos comandantes, a Nota de instrução nº 002/2003 da PM3 determina o encaminhamento dos Militares envolvidos em situações de risco ao tratamento psicossocial.


Segundo a Nota de Instrução, o Policial e Bombeiro militar está sujeito a uma série de efeitos psicofísicos do estresse que devem receber atenção especial.


A normativa prevê que é dever do comandante o encaminhamento do militar envolvido em situação de risco ao setor psicológico dentro das primeiras 24 horas.


Não se engane com seu estado psicológico achando que está tudo bem, pois é essa a impressão que na maioria das vezes temos. Ignorar esses fatos ao longo da carreira pode trazer consequências irreparáveis.


Exerça seu direito de ser tratado por um profissional de psicologia.


Conheça a NOTA DE INSTRUÇÃO Nº 002-2003 ATENÇÃO PSICOSSOCIAL A POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES


Divulguem.


DIRETORIA APRA



Camuflagem do novo helicóptero da Polícia Militar do Paraná

Camuflagem do novo helicóptero da Polícia Militar do Paraná

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

TIAGO BRIGIDA, SUA MORTE PREMATURA

TIAGO BRIGIDA, SUA MORTE PREMATURA


A MORTE RECENTE DE TIAGO ABALOU A CIDADE DE ITAMBARACÁ, TIAGO ERA UMA PESSOA QUE GOSTAVA DAS FESTAS E ENTRE O CIRCULO DE AMIGOS ERA POPULAR.


COMO POLICIAL MILITAR, TENHO VISTO E ATENDIDO A MAIORIA DAS MORTES PRECOCE DE NOSSOS JOVENS. PELAS DROGAS OU POR MOTIVOS FÚTEIS E BANAIS.


NO CASO DO TIAGO, QUANDO CHEGUEI AO LOCAL, A MAIORIA DOS AMIGOS DE TIAGO ESTAVAM NO LOCAL E SABIAM QUEM HAVIA ALVEJADO TIAGO.


MAS SE CALARAM; MEDO, CUMPLICIDADE, BANALIDADE, OU SIMPLESMENTE PENSAM, "A VIDA CONTINUA".


ALGUNS MAIS CHEGADOS PENSAM, PORQUE DEUS?


EU CREIO QUE DEUS FICOU PROFUNDAMENTE TRISTE COM QUE ACONTECEU.


POR MUITOS ANOS, NÓS TEMOS DITO PARA DEUS NÃO INTERFERIR EM NOSSAS ESCOLHAS, SAIR DO NOSSO GOVERNO E SAIR DE NOSSAS VIDAS.


COMO PODEREMOS ESPERAR QUE DEUS NOS DÊ A SUA BENÇÃO E SUA PROTEÇÃO SE NÓS EXIGIMOS QUE ELE NÃO SE ENVOLVESSE MAIS CONOSCO?


AGORA, NÓS ESTAMOS NOS PERGUNTANDO POR QUE NOSSOS FILHOS NÃO TÊM CONSCIÊNCIA, E POR QUE NÃO SABEM DISTINGUIR ENTRE O BEM E O MAL, O CERTO E O ERRADO, POR QUE NÃO LHES INCOMODA MATAR PESSOAS ESTRANHAS OU SEUS PRÓPRIOS COLEGAS.


PROVAVELMENTE, SE NÓS ANALISARMOS TUDO ISTO SERIAMENTE, IREMOS FACILMENTE COMPREENDER QUE NÓS COLHEMOS EXATAMENTE AQUILO QUE SEMEAMOS!


É TRISTE COMO AS PESSOAS SIMPLESMENTE CULPAM DEUS, A POLICIA, MAS NÃO SE PERGUNTAM SE TEM OU NÃO PARTICIPAÇÃO NAS MORTES PRECOCES E NÃO ENTENDEM POR QUE O MUNDO ESTÁ INDO A PASSOS LARGOS PARA O INFERNO.


É TRISTE COMO CREMOS EM TUDO QUE OS JORNAIS E A TV DIZEM, MAS DUVIDAMOS DO QUE A BÍBLIA NOS DIZ.


É TRISTE COMO ALGUÉM DIZ: "EU CREIO EM DEUS", MAS AINDA ASSIM SEGUE A SATANÁS, QUE POR SINAL, TAMBÉM "CRÊ" EM DEUS.


É ENGRAÇADO COMO SOMOS RÁPIDOS PARA JULGAR, MAS NÃO QUEREMOS SER JULGADOS!


Eclesiastes 11.9 - Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas te trará Deus a juízo.


Eclesiastes 12.1 - LEMBRA-TE também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento;


II Timóteo 2.22 - Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor.

Banco terá que cumprir a Lei das Filas

Banco terá que cumprir a Lei das Filas


O Branco do Brasil terá que dispor de pessoal suficiente para que o atendimento seja oferecido aos seus clientes em, no máximo, 30 minutos em dias normais e de 45 minutos em véspera ou após feriado prolongados. Dessa forma, o Tribunal de Justiça do RN reconheceu a constitucionalidade da Lei nº 5.054/98 – Lei das Filas – e que compete ao município legislar sobre assuntos de interesse local, como determina a Constituição Federal de 1988.


No processo, o Banco do Brasil argumentou que o Município não poderia legislar sobre entidade que possui filiais em outras localidades, cujo sistema é nacionalmente integrado e essencial ao funcionamento, como legislou o Município Apelado na Lei nº 5.054/98, alterada pela Lei nº 5.671/2005 e disse ainda que, diante do artigo 170 da Constituição Federal, não seria razoável a intervenção legal da Administração Pública no modo de operação das atividades dos bancos.


Mas a decisão do Desembargado Amaury Moura Sobrinho confirmou a sentença proferida pela 5ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Natal.


"Depois de estudar os autos, considero que o Município do Natal respeitou a sua competência constitucional para legislar, conforme artigo 30, I e II. (…) é evidente que a legislação tratou sobre assunto de interesse local, bem como buscou prestigiar o princípio da defesa do consumidor, consagrado no artigo 170, V, da Constituição Federal. Noutro passo, não vejo violação do princípio da isonomia, pois o legislador municipal tratou com isonomia as instituições bancárias dentro de suas especificidades", disse o Desembargador em sua decisão.


PROCESSO Nº 2011.005872-0


FONTE

Câmara aprova multa para motorista que levar bebida alcoólica

Câmara aprova multa para motorista que levar bebida alcoólica


A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania) aprovou nesta quinta-feira (25/8) o Projeto de Lei 7050/02, do Senado, que define como infração gravíssima o transporte de bebidas alcoólicas na cabine de passageiros do veículo. Essa infração é punida com sete pontos na carteira de motorista e multa de R$ 191,44.


A proposta, que tramita em caráter conclusivo, voltará para o Senado, por ter sido alterada na Câmara.


Por sugestão do relator, deputado Hugo Leal (PSC-RJ), a comissão aprovou a retirada de uma terceira punição (além da multa e dos pontos), que era a “retenção do veículo até o saneamento da irregularidade”.


O deputado considera a medida “injurídica e ilógica”.“Se a infração constitui no transporte de bebidas alcoólicas na cabina de passageiros, basta tirá-las dali e não restará mais nada de errado com o veículo que justifique a retenção”, questionou Leal.




FONTE:

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Nota de Esclarecimento: atuação da Polícia Federal no Brasil

Nota de Esclarecimento: atuação da Polícia Federal no Brasil




A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal vem a público esclarecer que, após ser preso, qualquer criminoso tem como primeira providência tentar desqualificar o trabalho policial. Quando ele não pode fazê-lo pessoalmente, seus amigos ou padrinhos assumem a tarefa em seu lugar.




A entidade lamenta que no Brasil, a corrupção tenha atingido níveis inimagináveis; altos executivos do governo, quando não são presos por ordem judicial, são demitidos por envolvimento em falcatruas.


Milhões de reais – dinheiro pertencente ao povo- são desviados diariamente por aproveitadores travestidos de autoridades. E quando esses indivíduos são presos, por ordem judicial, os padrinhos vêm a publico e se dizem “ estarrecidos com a violência da operação da Polícia Federal”. Isto é apenas o início de uma estratégia usada por essas pessoas com o objetivo de desqualificar a correta atuação da polícia. Quando se prende um político ou alguém por ele protegido, é como mexer num vespeiro.


A providência logo adotada visa desviar o foco das investigações e investir contra o trabalho policial. Em tempos recentes, esse método deu tão certo que todo um trabalho investigatório foi anulado. Agora, a tática volta ao cenário.


Há de chegar o dia em que a história será contada em seus precisos tempos.


De repente, o uso de algemas em criminosos passa a ser um delito muito maior que o desvio de milhões de reais dos cofres públicos.


A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal colocará todo o seu empenho para esclarecer o povo brasileiro o que realmente se pretende com tais acusações ao trabalho policial e o que está por trás de toda essa tentativa de desqualificação da atuação da Polícia Federal.


A decisão sobre se um preso deve ser conduzido algemado ou não é tomada pelo policial que o prende e não por quem desfruta do conforto e das mordomias dos gabinetes climatizados de Brasília.


É uma pena que aqueles que se dizem “estarrecidos” com a “violência pelo uso de algemas” não tenham o mesmo sentimento diante dos escândalos que acontecem diariamente no país, que fazem evaporar bilhões de reais dos cofres da nação, deixando milhares de pessoas na miséria, inclusive condenando-as a morte.


No Ministério dos Transportes, toda a cúpula foi afastada. Logo em seguida, estourou o escândalo na Conab e no próprio Ministério da Agricultura. Em decorrência das investigações no Ministério do Turismo, a Justiça Federal determinou a prisão de 38 pessoas de uma só tacada.


Mas a preocupação oficial é com o uso de algemas. Em todos os países do mundo, a doutrina policial ensina que todo preso deve ser conduzido algemado, porque a algema é um instrumento de proteção ao preso e ao policial que o prende.


Quanto às provas da culpabilidade dos envolvidos, cabe esclarecer que serão apresentadas no momento oportuno ao Juiz encarregado do feito, e somente a ele e a mais ninguém. Não cabe à Polícia exibir provas pela imprensa.


A ADPF aproveita para reproduzir o que disse o ex-ministro Márcio Thomaz Bastos: “a Polícia Federal é republicana e não pertence ao governo nem a partidos políticos”.


Brasília, 12 de agosto de 2011


Bolivar Steinmetz
Vice-presidente, no exercício da presidência


Fonte: Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Testemunho de Impacto: Cura Milagrosa na Etiópia

Testemunho de Impacto: Cura Milagrosa na Etiópia

- Por Equipe Missões Portas Abertas

do Mensagens de Pr. José do Carmo -"Zé do Egito"

- Brasilmetodista: de Pr. José do Carmo -"Zé do Egito"

A Etiópia é conhecida por sua extrema pobreza. O país sofre com sérios problemas na área de saúde, relacionados a epidemias como a malária e a tuberculose. A expectativa de vida no país é de 50 anos.
Cerca de 40% da população são muçulmanos. Aqueles que procuram ser uma testemunha fiel de Cristo em áreas dominadas por muçulmanos podem pagar o preço de seguir a Cristo com sua própria vida.

Além do islamismo, existe a grande igreja ortodoxa, que compreende 24,3% da população, e os praticantes de várias religiões tradicionais locais.

Kedija era uma das adeptas das religiões tradicionais. Durante os últimos 12 anos, vinha sofrendo de sérias dores nas costas e, de uma forma inexplicável, não podia usar suas pernas. Kedija dependia totalmente dos outros.

Para recuperar sua saúde e ter de novo uma vida normal, Kedija deu tudo que tinha para um curandeiro local. A fim de receber a cura que tanto desejava, ela chegou a ficar na casa dele um ano inteiro. Todo o sacrifício dela não deu resultado, pois o curandeiro não pôde curá-la.

Após esgotar todos seus recursos, Kedija voltou para casa e ficou à espera da morte. No dia 22 de agosto de 2005, outro curandeiro abordou Kedija e disse que poderia curá-la por 250 dólares.

As duas filhas adolescentes de Kedija ficaram desesperadas junto da mãe, que não tinha dinheiro para pagar o homem. Elas se ofereceram então como mulheres para o curandeiro de 75 anos em troca da cura. Kedija não aprovou essa idéia, mas suas filhas a lembraram de que ela não tinha mais nada para oferecer ao curandeiro.

O curandeiro muçulmano ficou feliz em aceitar as duas adolescentes como mulheres.

Ele mandou as duas meninas comprarem folhas de um tipo de cardo que, ao serem mastigadas, deixam a pessoa em transe. Depois, em um ritual, ele rezou a noite toda.

A promessa de cura de Kedija atraiu muitos espectadores da comunidade, quase toda muçulmana.

Quando a manhã chegou, Kedija ainda continuava paralisada. Por isso a comunidade duvidou da promessa do curandeiro. Furioso com o questionamento e os insultos dirigidos a ele, o homem acusou toda a comunidade de não cooperar com suas rezas. O curandeiro culpou todas aquelas pessoas por ele não ter conseguido curar Kedija e fugiu muito envergonhado. Ninguém nunca mais viu aquele curandeiro.

Uma última opção

Dois dias depois, um estranho sugeriu que os “pentes” (apelido local para os cristãos pentecostais) não teriam problemas em orar pela cura de Kedija, e não cobrariam nada. Kedija, já bastante desencorajada, aceitou a sugestão como uma última opção.

Assim, o estranho foi ao vilarejo vizinho e pediu para o evangelista local orar pela cura de Kedija. O evangelista ficou feliz em ajudar. Ele subiu em sua motocicleta (doada pela Missão Portas Abertas) e percorreu a distância entre os dois vilarejos.

O evangelista, assim que chegou, explicou que ele mesmo não poderia fazer nada por Kedija, e que apenas Jesus Cristo tinha poder para curá-la por meio da oração dos seus seguidores.

O evangelista, com ousadia, perguntou o que Kedija faria se Jesus a curasse. Ela, lacrimejante, disse que aceitaria Cristo se ele fizesse isso. Em seguida, o evangelista começou a orar pela cura de Kedija.

No entanto, a filha mais velha não gostou de ouvir as orações e saiu da casa gritando. O evangelista alcançou a moça de 20 anos e orou por ela. A garota começou a revelar as causas para a paralisia de Kedija, quando o evangelista se dirigiu ao demônio que se manifestava por meio dela. No momento em que o demônio foi expulso da filha, Kedija começou a gritar de maneira incontrolável. Cinco minutos depois, outro demônio foi expulso de Kedija, e ela ficou totalmente curada.

Kedija não apenas pôde andar de novo como também encontrou libertação perpétua em Cristo.

A repercussão da cura

A surpreendente cura de Kedija atraiu muitos curiosos. Trinta e oito pessoas que testemunharam aquela cura milagrosa aceitaram Cristo como Senhor e Salvador, inclusive a família de Kedija.

O seu marido, muçulmano, havia construído uma mesquita em sua propriedade, mas, depois da cura de sua mulher, ele ofereceu a construção para ser usada como igreja.

Além disso, a família doou uma parte de sua terra para ser o local de uma igreja apropriada para a comunidade.

Em 10 de setembro, os 38 muçulmanos que se tornaram cristãos passaram a fazer parte do grupo de cerca de 300 novos convertidos, todos batizados em um lago da região.

A história de Kedija não foi a primeira cura milagrosa que aconteceu no sul da Etiópia. Quase um ano atrás, um conhecido xeique desenvolveu um problema mental inexplicável. O xeique Mohammed foi a todo tipo de hospital da área, mas ninguém foi capaz de ajudá-lo em sua doença. Por fim, seus pais o levaram ao mesmo evangelista que orara pela cura de Kedija.

O evangelista acompanhou os pais até a casa deles e falou-lhes sobre o poder de cura de Deus. Esse evangelista, ao chegar, perguntou à família o que ela faria se Jesus curasse Mohammed. Os pais, desesperados, disseram que estariam dispostos a aceitar Cristo como Senhor e Salvador se o filho fosse curado.

O evangelista orou fervorosamente e Mohammed gritou. Ele ficou curado em um piscar de olhos.

Mohammed tinha uma mesquita em frente a uma pequena igreja. Desde sua cura, a mesquita está vazia enquanto a pequena igreja ganha mais e mais membros. Por causa da cura e do testemunho de Mohammed, 15 muçulmanos aceitaram Cristo.

Atualmente, Mohammed é um membro ativo dessa pequena igreja. Ele enfrentou uma forte perseguição e até temeu por sua vida na comunidade quase toda muçulmana, mas ele continua a testificar sobre a intervenção de Deus em sua nova vida.

_____________________________

A Missão Portas Abertas, uma organização que apóia os cristãos perseguidos, tem desenvolvido projetos de assistência social e espiritual na Etiópia, além de enviar Bíblias, livros e outras coisas, como a motocicleta que o evangelista utilizou. O país ocupa o 49º lugar na Classificação de países por perseguição, uma lista preparada pela Missão Portas Abertas, classificando os maiores violadores da liberdade religiosa no mundo. Para mais informações sobre os cristãos perseguidos no mundo, visite o site www.portasabertas.org.br.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

O DIA DO SENHOR



2Tm 3.1 Sabe, porém, isto, que nos [últimos dias] sobrevirão tempos penosos;




II PEDRO 3
O DIA DO SENHOR

2Pe 3.1 Amados, já é esta a segunda carta que vos escrevo; em ambas as quais desperto com admoestações o vosso ânimo sincero;


2Pe 3.2 para que vos lembreis das palavras que dantes foram ditas pelos santos profetas, e do mandamento do Senhor e Salvador, dado mediante os vossos apóstolos;


2Pe 3.3 sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores com zombaria andando segundo as suas próprias concupiscências,


2Pe 3.4 e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação.


2Pe 3.5 Pois eles de propósito ignoram isto, que pela palavra de Deus já desde a antigüidade existiram os céus e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste;


2Pe 3.6 pelas quais coisas pereceu o mundo de então, afogado em água;


2Pe 3.7 mas os céus e a terra de agora, pela mesma palavra, têm sido guardados para o fogo, sendo reservados para o dia do juízo e da perdição dos homens ímpios.


2Pe 3.8 Mas vós, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.


2Pe 3.9 O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é longânimo para convosco, não querendo que ninguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se.


2Pe 3.10 Virá, pois, como ladrão o dia do Senhor, no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se dissolverão, e a terra, e as obras que nela há, serão descobertas.


2Pe 3.11 Ora, uma vez que todas estas coisas hão de ser assim dissolvidas, que pessoas não deveis ser em santidade e piedade,


2Pe 3.12 aguardando, e desejando ardentemente a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se dissolverão, e os elementos, ardendo, se fundirão?


2Pe 3.13 Nós, porém, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e uma nova terra, nos quais habita a justiça.


2Pe 3.14 Pelo que, amados, como estais aguardando estas coisas, procurai diligentemente que por ele sejais achados imaculados e irrepreensível em paz;


2Pe 3.15 e tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada;


2Pe 3.16 como faz também em todas as suas epístolas, nelas falando acerca destas coisas, mas quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, como o fazem também com as outras Escrituras, para sua própria perdição.


2Pe 3.17 Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que pelo engano dos homens perversos sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza;


2Pe 3.18 antes crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como até o dia da eternidade.

6° BPM (CASCAVEL - PMPR), REALIZA TREINAMENTO DE CHOQUE LIGEIRO

Demonstração de Choque Ligeiro
pelo Pelotão de Polícia de Choque do 6º BPM de Cascavel
um dia de treinamento de
Controle de Distúrbios Civis. 2011

http://www.youtube.com/watch?v=9qYmGfXeNEc&feature=player_embedded

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

"No Brasil, nós só mandamos prender ladrões de galinha"

"No Brasil, nós só mandamos prender ladrões de galinha":

Declarando-se independente do governo e até de seu partido, o senador gaúcho encampa um movimento de apoio à faxina no governo. Em entrevista a O TEMPO, Simon destaca os efeitos nocivos da corrupção, reclama da impunidade e cobra o envolvimento da sociedade civil na busca pela moralização da política.


6
8
10
PEDRO SIMON
Senador (PMDB-RS) - Membro titular da Comissão de Constituição e Justiça do Senado




mais polícia não resolve…”


“mais polícia não resolve…”


Em entrevista concedida ao Paraná TV, Rodrigo Pimentel fala sobre o programa de segurança de Richa:





http://www.youtube.com/watch?v=OYRr6HrfT8Q&list=HL1313979198&feature=player_embedded

domingo, 21 de agosto de 2011

Pastor Silas Malafaia fala a Época:"Governante vai ter de dizer em que acredita".

Pastor Silas Malafaia fala a Época:"Governante vai ter de dizer em que acredita".:

Marcelo Min/Fotogarrafa/ÉPOCAO
pastor evangélico afirma que os temas religiosos – como aborto ou
homossexualidade – entraram e não sairão mais da política brasileira.

No
ano passado, quando a campanha política pela Presidência da República
enveredou para uma discussão sobre fé e aborto, o pastor evangélico
Silas Malafaia virou uma espécie de pivô da disputa eleitoral.

Líder da
Assembleia de Deus Vitória em Cristo, no Rio de Janeiro, Malafaia apoiou
a candidatura da também evangélica Marina Silva até a véspera do
primeiro turno. Quando Marina estava em seu melhor momento, Malafaia
abandonou-a e passou a pedir votos para o tucano José Serra, segundo ele
mais firme que Marina na oposição ao aborto.

Serra perdeu a eleição,
mas Malafaia não perdeu os holofotes. Poucos meses após a posse da
presidente Dilma Rousseff, ele passou a liderar uma cruzada contra o
projeto de lei que pretende criminalizar a homofobia. Loquaz e
provocador, usa seus programas de rádio e TV para combater a proposta
quase que diariamente.

Nesta entrevista, ele critica a Igreja Universal,
diz que os políticos não poderão mais esconder suas crenças e tenta
explicar sua posição sobre a homossexualidade.





QUEM É

Carioca
de 52 anos, é o pastor líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo.
Formado em psicologia pela Universidade Gama Filho, é casado e tem três
filhos



O QUE FAZ

Há 29 anos apresenta programas na TV, exibidos em rede nacional e no exterior



O QUE FEZ

Publicou mais de 100 livros e diz ser o pastor que mais vende DVDs de mensagem no Brasil, cerca de 1 milhão de cópias por ano.



ÉPOCA –
O senhor é pastor da Assembleia de Deus, mas, diferentemente de outros
líderes evangélicos, é muito ouvido por fiéis de outras denominações.
Qual é a diferença?




Silas Malafaia – Estou
na TV há 29 anos ininterruptos e nunca fiz programas para a Assembleia
de Deus. Então, o pessoal me codifica como um pregador. Faço um programa
interdenominacional. Sempre trabalhei como uma voz apologética em
defesa da fé. Por causa disso, acabei conquistando espaço entre outros
segmentos. Hoje, existem quatro pastores em rede nacional: Edir Macedo,
da Universal, R.R. Soares, da Internacional da Graça, Valdemiro
Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus, e eu. Sou o único que
sempre fiz programa para todo mundo. Não porque sou bom. É porque não
tem espaço, amigo.



ÉPOCA – As igrejas evangélicas ainda têm uma imagem muito estigmatizada entre os não evangélicos. Por que, em sua opinião?

Malafaia – Isso
mudou muito, irmão. Hoje, essa história de imagem estigmatizada é
cafezinho. Antigamente, nego só botava coisa ruim sobre os evangélicos
na televisão, nos jornais. Era só cacete em cima de pastor. Agora tem
jogador de futebol evangélico, artista...



ÉPOCA – O senhor acha que alguns líderes evangélicos ajudaram a criar essa imagem estigmatizada?

Malafaia – É
aquela história de perdas e ganhos que todo segmento social sofre.
Algumas atitudes fizeram a gente perder, outras fizeram ganhar. Tome o
exemplo da Universal e do Edir Macedo. Ele ajudou em algumas coisas e
prejudicou em outras. Ele é um cara que fez a igreja evangélica
despertar para um evangelismo ousado, igreja aberta o tempo todo. Antes,
as igrejas evangélicas abriam duas vezes por semana à noite. O Macedo é
que arrebentou com isso, entende? O lado ruim da coisa é o sincretismo.





ÉPOCA – Qual é sua relação com o bispo Edir Macedo?


Malafaia – A Bíblia tem
um texto que diz assim: “Poderão andar dois juntos se não estiverem de
acordo?”. Eu já ajudei o Macedo quando ele foi preso, mas eles são
separatistas, só veem o lado deles. Então, não me presto a andar com uma
pessoa que só quer andar com mão única para ela. Sou a favor de mão
dupla: para lá e para cá, entende? O Macedo está isolado, todo mundo
sabe. Eles só são evangélicos para os outros quando estão com dor de
barriga, quando o pau está quebrando em cima deles ou então por
interesse político. A comunidade evangélica está madura e não se presta
mais a isso.





ÉPOCA –
Nos bastidores, circulou a notícia de que o senhor estaria apoiando o
PSD, o partido que o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, quer
construir. Procede?


Malafaia – Amigo, não apoio partido nenhum. Apoio pessoas. Meu irmão (o deputado estadual Samuel Malafaia, do PR-RJ) está querendo ir para lá (o PSD), mas isso é problema dele.





ÉPOCA – Qual é sua opinião sobre Kassab?

Malafaia – Nada a falar contra ele.




ÉPOCA – Mas, no passado, o senhor já se desentendeu com ele...

Malafaia – Eu
o critiquei quando ele fechou uma igreja evangélica do apóstolo
Valdemiro Santiago. Ser amigo ou respeitar alguém não significa ser
capacho ou concordar com tudo o que essa pessoa faça.


ÉPOCA –
Na eleição presidencial do ano passado, o senhor apoiou Marina Silva no
início. Ainda no primeiro turno, passou a pedir voto para o José Serra.
Por que mudou de lado?


Malafaia – Pior
do que um ímpio é um cristão que dissimula. A Marina, membro da
Assembleia de Deus, sabe que, como uma pessoa de fé, não pode negociar
sobre questões de aborto nem de homossexualismo. Ela era contra o
aborto, mas por que dizia que faria um plebiscito? Ela quis dar de
bacana, jogar para a galera, e eu falei não. Qualquer um podia fazer
aquilo, menos ela, por suas convicções de fé.





ÉPOCA – Por que o José Serra?


Malafaia – Acredito
que tinha de me posicionar. Naquele momento, o Serra era o mais
adequado para isso. Ele mantinha uma posição firme sobre aborto, que foi
o grande debate da campanha desde lá atrás. A Dilma dissimulou a
história. Ela se posicionou a favor do aborto para a revista Marie Claire, depois mudou o discurso. O único que se coadunava com meus valores e crenças era o Serra.





ÉPOCA – Em sua opinião, o debate de questões religiosas deverá se repetir nas próximas disputas eleitorais?


Malafaia – É
lógico. Amigo, hoje em dia governante vai ter de dizer em que
princípios acredita. Vai ter de botar a cara, porque a comunidade
evangélica está bem esperta, madura. Não vai dar para ficar em cima do
muro. Não queremos que nenhum político tenha a ideia de que lutamos por
uma República evangélica e que, por isso, ele tem de abraçar nossos
princípios e mandar todo o mundo às favas. Não estou dizendo também que o
cara, para ter apoio dos evangélicos, tem de odiar os homossexuais. Não
é radicalismo imbecil e idiota. Se um governante apoiar leis que
privilegiam homossexuais em detrimento da sociedade, vamos cair em cima.
Hoje, sou a maior barreira que existe para aprovarem a lei que
criminaliza a homofobia. E, se abrir a boca para dizer que apoia o
aborto, vai ficar feio também.





ÉPOCA – O que é, em sua opinião, a homossexualidade?


Malafaia – O
homossexualismo é comportamental. Uma pessoa é homem ou mulher por
determinação genética, e homossexual por preferência apreendida ou
imposta. É um comportamento. Ninguém nasce homossexual. Não existe ordem
cromossômica homossexual, não existem genes homossexuais. O cromossomo
de um homem hétero e de um homem homossexual é a mesma coisa. O resto é
falácia, é blá-blá-blá. Só existe macho e fêmea, meu amigo.





ÉPOCA – Por que o comportamento homossexual se desenvolve?


Malafaia – A Bíblia diz
que, aos homens que não se importaram em ter conhecimento de Deus, Ele
os entregou um sentimento perverso para fazerem coisas que não convêm.
Do ponto de vista comportamental, é promiscuidade mesmo, meu amigo. O
ser humano quer quebrar todos os limites. Quanto mais ele quebra
limites, mais insaciável se torna. Ninguém nasce homossexual. É a
promiscuidade do ser humano.





ÉPOCA – É possível alguém deixar de ser homossexual?


Malafaia – Nossa igreja está cheia de gente que era homossexual. O cara não nasceu (homossexual).
Se não nasceu, amigo... Ninguém nasce homossexual. É uma opção, por uma
série de elementos: ou porque foi violentado, ou porque escolheu por
modelo de imitação. O ser humano vive por modelo de imitação.



ÉPOCA – E como se dá essa reversão?

Malafaia – Meu
filho, essa reversão é o cara voltar a ser macho e a mulher voltar a
ser fêmea. Dar forças para o cara vencer isso. Acredito no poder do
Evangelho para transformar qualquer pessoa, inclusive homossexuais.





ÉPOCA – Qual é sua opinião sobre os casos de violência contra homossexuais?


Malafaia – Vou
te dar alguns numerozinhos para a gente poder desfazer essa conversinha
fiada para boi dormir. Os números é que vão dizer: no ano passado, 50
mil pessoas foram assassinadas no Brasil, e 260 eram homossexuais. Que
índice é esse para dizer que o Brasil é um país homofóbico? Outro
número: mais de 300 mulheres foram assassinadas por violência doméstica
em 2010, mas ninguém fala nada. Mais de 100 crianças são assassinadas ou
violentamente espancadas por dia, e ninguém fala nada. Sabe por quê? É
porque por trás das editorias dos jornais, da televisão existe uma
bicharada desgramada que dá toda essa ênfase para eles. Não quero que
ninguém morra, amigo, mas o índice (de mortes de homossexuais) é insignificante para a violência que acontece no Brasil. Então, esse é um apelo de propaganda para eles (gays)
poderem ter benefícios em detrimento do conjunto da coletividade
social. Essa daí é velha, e eu não sou otário. Sei pesquisar os números,
e a imprensa não dá os números. Tem mais heterossexual que homossexual
sendo assassinado. Você sabe o que é homofobia para os homossexuais?
Olhar com cara feia para um gay é homofobia. Não concordar com a prática
deles é homofobia. Uma coisa é criticar a conduta, outra é discriminar
pessoas. Tudo para eles é homofobia. Essa é a malandragem deles, e eu
não caio nessa.

"No ano passado, 50 mil pessoas foram assassinadas no Brasil – e 260 eram homossexuais. É um índice insignificante para dizer que o Brasil é um país homofóbico".





ÉPOCA – Os ativistas homossexuais são heterofóbicos?


Malafaia – Acho
que eles são uns malandros que ganham verba dos governos federal,
estadual e municipal para fazer esse papel. São uns malandros
oportunistas faturando em cima da grana que as ONGs deles recebem. Essa é
a verdade nua e crua. Não é pouca grana, não. E ninguém fala disso. Os
ativistas homossexuais são pagos para esse serviço podre que fazem de
chamar todo mundo de homofóbico.





ÉPOCA – O que fazer com o comportamento homossexual? Malafaia – O
comportamento homossexual é um direito que a pessoa tem. O direito de
ser é guardado pela Constituição, pelo livre-arbítrio. Não quero que
ninguém seja eliminado. Critica-se presidente da República, critica-se
pastor, padre, deputado, mas não pode criticar uma prática? Em hipótese
alguma. Querer eliminar homossexual é homofobia. Não quero isso. Quero
discutir com um homossexual e poder dizer que sou contra a prática dele,
assim como os gays podem me dizer que são contra a prática dos
evangélicos. Isso é democracia.




ÉPOCA
O que o senhor acha das críticas feitas ao deputado Jair Bolsonaro
(PP-RJ) (político contrário às leis que criminalizam a homofobia)? Malafaia –
Você
vai ver o Jair Bolsonaro nas póximas eleições. Ele vai ter três ou
quatro vezes mais votos que recebeu na eleição passada. A sociedade
brasileira é conservadora, 90% da população é cristã. Desses 90%, os
evangélicos e católicos praticantes são 70%. Nós somos maioria absoluta
neste país, amigo. Pergunto: qual é o deputado gay que teve uma votação
expressiva? Esse Jean Wyllys (deputado federal do PSOL-RJ) entrou na sobra de legenda, com 13 mil votos, pendurado num cara (o deputado Chico Alencar, do PSOL, segundo mais votado do Estado). É o mais famoso dos gays e não tem voto, não tem porcaria nenhuma.




ÉPOCA – Como o senhor reagiria se um de seus filhos ou netos dissesse que é gay? Malafaia – Vou
melhorar tua pergunta, aprofundá-la. Se algum filho meu fosse
assassino, se algum neto meu fosse traficante, se algum filho meu fosse
um serial killer e tivesse esquartejado 50, continuaria o amando da
mesma forma, mas reprovando sua conduta. Meu amor por uma pessoa não
significa que apoio o que ela faz. Daria o Evangelho para ele, diria que
Jesus transforma, que ele não nasceu assim, que é uma opção dele.





Notícias Cristãs com informações da ÉPOCA